İstanbul escort bayan sivas escort samsun escort bayan sakarya escort Muğla escort Mersin escort Escort malatya Escort konya Kocaeli Escort Kayseri Escort izmir escort bayan hatay bayan escort antep Escort bayan eskişehir escort bayan erzurum escort bayan elazığ escort diyarbakır escort escort bayan Çanakkale Bursa Escort bayan Balıkesir escort aydın Escort Antalya Escort ankara bayan escort Adana Escort bayan

More

    TRE-PR inicia julgamento de Sergio Moro por suposto abuso de poder econômico e outras acusações

    Data:

     

    O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) deu início ao julgamento de duas ações contra o senador Sergio Moro (União-PR) nesta segunda-feira (1º). 

    ++Lula critica proibição de candidatura opositora na Venezuela

    As Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) analisam supostos casos de abuso de poder econômico, uso inadequado de meios de comunicação durante a campanha eleitoral de 2022 e caixa dois. 

    ++Brasil e França lançam programa de investimento de € 1 bilhão em 4 anos para Amazônia

    Por volta das 15h30, o Ministério Público Eleitoral (MPE) se posicionou a favor da cassação e da inelegibilidade de Sergio Moro. Neste momento, a sessão encontra-se em intervalo.

    O julgamento pode resultar na cassação do mandato do senador e de toda a chapa, além da inelegibilidade por 8 anos. Assim como ocorreu no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no julgamento de Jair Bolsonaro (PL), o TRE-PR destinou três sessões para a análise do caso.

    A primeira sessão teve início nesta segunda-feira. O presidente da Corte, desembargador Sigurd Roberto Bengtsson, abriu os trabalhos do julgamento. Em seguida, o advogado do PL, Bruno Cristaldi, iniciou as argumentações. O partido é um dos autores das Aijes. Em sua defesa, Cristaldi sustentou a existência de “fortes indícios de caixa 2 e triangulação de recursos na campanha de Moro”.

    Na sequência, falou o advogado do PT, Luiz Eduardo Peccinin, também autor de uma das ações contra Moro. Ele alegou que Moro “começou a corrida” eleitoral oito meses antes do permitido e que isso prejudicou a “paridade de armas”. Peccinin afirmou que os argumentos da defesa de Moro “são criativos”, mas não condizem com as jurisprudências da Justiça Eleitoral.

    O advogado de Moro, Gustavo Guedes, rebateu as acusações e classificou as Aijes contra o senador como uma “esquizofrenia absoluta”. Guedes questionou a inconsistência dos valores apresentados pelos autores das ações e destacou que as acusações se baseiam em alegações infundadas.

    Após as argumentações, o Ministério Público Eleitoral iniciou a leitura do parecer. O procurador regional eleitoral, Marcelo Godoy, votou a favor da admissão parcial dos pedidos dos partidos, considerando que houve abuso de poder econômico. Essa conclusão implica na cassação da chapa eleita e na inelegibilidade do titular por 8 anos.

    O próximo a falar será o relator, desembargador Luciano Carrasco Falavinha. Em seguida, os demais desembargadores começarão a apreciação das ações.

    O TRE é composto por sete membros, e cada um proferirá seu voto, justificará sua posição e apontará todas as condições legais para sua conclusão. Para que Moro seja cassado e se torne inelegível, ele precisa ser considerado culpado pela maioria dos membros do tribunal.

    Não deixe de curtir nossa página  no Facebook   e também  no Instagram  para mais  notícias  do JETSS.

    - Publicidade -

    Mais Recentes