İstanbul escort bayan sivas escort samsun escort bayan sakarya escort Muğla escort Mersin escort Escort malatya Escort konya Kocaeli Escort Kayseri Escort izmir escort bayan hatay bayan escort antep Escort bayan eskişehir escort bayan erzurum escort bayan elazığ escort diyarbakır escort escort bayan Çanakkale Bursa Escort bayan Balıkesir escort aydın Escort Antalya Escort ankara bayan escort Adana Escort bayan

More

    GREVE: Com mobilização agendada para quarta-feira, servidores solicitam aumento nos auxílios

    Data:

     

    A proposta oficial do governo para os servidores do Executivo federal, que visa aumentar os valores dos auxílios, ainda está em fase de negociação. Até o momento, esta é a única alternativa apresentada pelo governo para o ano de 2024, sem promessas de reajuste na remuneração do funcionalismo para este período. Enquanto isso, a categoria agendou uma mobilização nacional para a próxima quarta-feira (3/4).

    ++Moraes rejeita solicitação de retorno de passaporte para Bolsonaro

    As entidades que representam os servidores demandam uma recomposição entre 7% e 10%, dependendo do acordo firmado pelas categorias.

    ++Macron chega ao Palácio do Planalto para encontro bilateral com o presidente Lula

    No ano passado, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) sugeriu para 2024 um aumento no auxílio-alimentação, de R$ 658 para R$ 1 mil; no valor per capita referente ao auxílio-saúde, de R$ 144 para R$ 215; e no auxílio-creche, de R$ 321 para R$ 484,90.

    Em fevereiro, o governo reafirmou a proposta de reajuste de 9% em duas parcelas para os próximos dois anos, sendo a primeira a ser paga em maio de 2025 e a segunda em maio de 2026.

    “Com essa proposta, somada aos 9% de aumento já concedidos no ano passado, os servidores terão um reajuste acumulado de mais de 18% em quatro anos”, detalhou o ministério em resposta a questionamentos feitos pela reportagem.

    No primeiro ano do terceiro governo de Lula (PT), foi concedido um reajuste linear de 9%, após anos de congelamento. A proposta oficial para o segundo ano do mandato petista é de reajuste zero, mas ainda existem ideias em discussão.

    Uma delas é um possível reajuste nominal, em vez de uma correção linear, aos servidores do Executivo federal, o que significa que todos os servidores receberiam o mesmo valor, mas com impactos diferentes.

    O governo vê nessa proposta uma forma de beneficiar aqueles com remunerações mais baixas. Assim, por exemplo, se forem concedidos R$ 500 a mais no contracheque, para professores universitários, isso pode representar 2% de reajuste, enquanto que, para técnicos de educação, o valor pode chegar a 10% de correção.

    Paralisação em 3 de abril

    O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), que representa os cargos do chamado “carreirão”, incluindo universidades federais e áreas de saúde, convocou os afiliados para uma mobilização na próxima quarta-feira (3/4).

    O Dia Nacional de Mobilização e Paralisação tem três objetivos principais:

    Defender o serviço público e a valorização dos servidores;

    Manifestar posição contra a proposta de reajuste zero para 2024, tendo em vista que os servidores alegam sofrer perdas salariais de mais de 34% desde o governo Michel Temer (MDB); e

    Revogar o que consideram “retrocessos”, que incluem portarias, instruções normativas, decretos administrativos e outras ações do governo Jair Bolsonaro (PL) que afetaram o funcionalismo.

    Não deixe de curtir nossa página  no Facebook   e também  no Instagram  para mais  notícias  do JETSS.

    - Publicidade -

    Mais Recentes