Entretenimento, Cultura e Lazer

Primeira reinfecção por Covid-19 no Brasil foi em julho, revela estudo

Um estudo feito pela UFS aponta que a maior parte dos casos de reinfecção por Covid-19 são de mulheres, especialmente profissionais de saúde. (Foto: Unsplash)
Um estudo feito pela UFS aponta que a maior parte dos casos de reinfecção por Covid-19 são de mulheres, especialmente profissionais de saúde. (Foto: Unsplash)

Um estudo aponta que o primeiro caso de reinfecção por Covid-19 no Brasil aconteceu em julho e não em outubro de 2020. De acordo com informações divulgadas pela Agência Brasil nesta quinta-feira (18), a descoberta foi feita por um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

++ Israel testa 2 remédios promissores contra a Covid-19; entenda

Segundo o estudo uma profissional de saúde de Aracaju, capital de Sergipe, foi reinfectada por uma variante do vírus com apenas 54 dias de diferença da primeira vez. “Trata-se de uma variante do vírus apontada no resultado do segundo exame da paciente, mas ainda não sabemos do seu potencial de infectar mais pessoas ou com maior gravidade”, declarou o professor Roque Pacheco de Almeida, à Rádio UFS.

“Precisamos identificar outros casos clínicos com a mesma variante e analisar os aspectos clínicos e epidemiológicos”, explicou o profissional. Outro ponto que chamou atenção foi o tempo curto de reinfecção, de aproximadamente dois meses. 

Entre os resultados, estão o de que os profissionais de saúde têm sido mais afetados pela reinfecção antes dos 90 dias, que é o período “normal” descoberto. Cerca de 30 profissionais observados foram reinfectados em período de 50 dias entre abril e julho de 2020.

“São profissionais que estão mais expostos ao vírus no ambiente de trabalho e podem estar se reinfectando, já que notamos que a doença inicial não os protegeu da segunda infecção, como acontece com a maioria dos vírus”, explicou o professor do Departamento de Medicina à Agência Brasil

Por fim, o estudo mostra os resultados de 33 casos de reinfecção. Ele aponta que a maior parte são mulheres, 78%, especialmente profissionais de saúde entre 22 e 58 anos.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS.