Entretenimento, Cultura e Lazer

Acusado de tentar matar Amanda Rivieira, empresário diz não lembrar de nada

Mais um caso de agressão contra mulher por pura e simples covardia. Neste sábado, 17/01 Amanda Rivieira divulgou que acusou judicialmente o ex-namorado, o empresário Johnny da Silva, de tentativa de assassinato. Sobre as razões que o levaram a essa atitude, a atriz do “Teste de Fidelidade” contou que seu namorado simplesmente cismou que seu batom estava borrado e começou bater – “Não deixou eu falar um minuto. Ele me espancou, me mordia, abriu pontos na minha orelha”, contou ela.

Já Johnny afirma que não lembra do ocorrido à imprensa e que Amanda terá que provar o que disse na Justiça. “Em relação à acusação feita pela minha ex-namorada, infelizmente eu não posso afirmar nada, a única coisa que me lembro é que houve um acidente. Agora cabe a ela provar que eu tenha me comportado dessa forma”, disse Johnny.

Entenda o caso
Amanda Rivieira, que há um ano trabalha no programa ‘Teste de Fidelidade’, diz ter sido espancada e sofrido um acidente de carro no domingo, 11, em São Paulo. A atriz, que está com o olho roxo e cheia de marcas no corpo, revelou a imprensa neste Sábado, 17 que apanhou do namorado após uma noitada:
“Estava tudo bem. A gente foi num churrasco e depois terminou a noite em uma balada. Permanecemos por 20 ou 30 minutos. Eu fui ao banheiro e voltei para falar com meu namorado. Pedi uma água e ele já estava todo estranho e queria ir embora. Eu disse que não, que gostava daquela música e queria curtir mais um pouco. Ele queria ir embora na hora, avisou as pessoas que estavam com a gente e foi pegar o carro no estacionamento. Nisso eu ficava perguntando o que tinha acontecido para ele estar estranho. Ele não me falava. Ele só falou dentro do carro que eu era uma vagabunda, que ele ia me matar e que eu não dava atenção pra ele. Ele cismou que meu batom estava borrado e começou a me bater. Não deixou eu falar um minuto. Ele me espancou, me mordia, abriu pontos na minha orelha. Teve muito sangue. Cheguei a desmaiar. Ele só parou de me agredir quando ele perdeu o controle do carro e bateu no muro”.

Após as inúmeras agressões sofridas, Amanda diz que o namorado, com quem estava se relacionando há seis meses, desmaiou com a batida do carro e uma ambulância a socorreu. “Ele desmaiou e foi a chance que eu tive de ser resgatada. Enquanto ele me espancava apareceu uma viatura, que começou a perseguir nosso carro por conta do comportamento estranho do motorista, e por estarmos em zig zag. Essa viatura chamou reforço e na hora da batida tinha vários carros de polícia lá. Eles chamaram uma ambulância que levou nós dois para o hospital. Fui para o Hospital Geral de Taipas e depois dei queixa. Tive que ‘tomar’ pontos e estou tomando remédios. Também  já registrei boletim de ocorrência e quero que ele vá parar atrás das grades”, contou.