More

    MPE ultrapassa grandes empresas na geração de empregos no país, diz Sebrae

    Data:

    Sete em cada dez vagas de trabalho com carteira assinada no Brasil foram criadas por micro e pequenos negócios. A afirmação é de um estudo feito com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

    ++Extinto por Bolsonaro, Lula volta com programa Minha Casa, Minha Vida

    Segundo o Caged, de janeiro a maio, o Brasil criou 865.360 empregos formais. Desses, 594.213 foram por Micro e pequenas empresas (MPE). Isso representa 69%.

    ++Lula sugere oferecer programa de incentivos na compra de eletrodomésticos

    Já segundo o presidente do Sebrae, Décio Lima, atualmente a maioria das MPE possui até cinco colaboradores.

    “Em um contexto de cerca de 22 milhões de pequenos negócios, as MPE são fundamentais à economia, respondendo por cerca de 99% de todas as empresas que existem no país, 55% do conjunto total de empregos com carteira e quase 30% do PIB, que a soma de todos os produtos e serviços do país em um ano”, disse à Agência Brasil.

    São considerados microempresas pelo Sebrae, os negócios com até nove empregados (agropecuária, comércio e serviço) ou 19 funcionários (indústria e mineração). 

    Pequenas empresas são as que têm até 49 trabalhadores (agropecuária, comércio e serviço) ou 99 empregados (indústria e mineração).

    Só em maio, os pequenos negócios responderam por 70% (108.406 dos 155.270) dos novos vínculos empregatícios. Um aumento de 2 pontos percentuais em relação aos 68% obtidos no mesmo mês do ano passado.

    Segundo o Sebrae, o crescimento da participação das MPE vai na contramão do comportamento das médias e grandes empresas (MGE), que viram a fatia delas no total de empregos formais diminuir de 22% em maio de 2022 para 15% em maio de 2023.

    Criação de emprego

    O presidente do Sebrae explica que os pequenos negócios são os maiores responsáveis pela criação e manutenção de empregos na economia brasileira. 

    “É natural que as médias e grandes empresas invistam pesado na modernização de seus processos de produção, em busca da maior competitividade de seus negócios. Portanto, as MGE tendem a ser poupadoras de mão de obra, no longo prazo. Já os pequenos negócios são intensivos em mão de obra”, avalia Lima.

    Setores em crescimento 

    Já os setores que mais contribuíram para a geração de emprego em pequenos negócios de janeiro a maio, aparecem o ramo de serviços (saldo de 339.127 vagas), construção (123.937), indústria de transformação (64.754) e comércio (34.127). 

    E sobre as atividades econômicas responsáveis pelo saldo de criação de vagas por pequenos negócios nos cinco primeiros meses de 2023, os destaques são construção de edifícios (42.849 postos de trabalho), transporte rodoviário de carga (27.138), educação infantil/pré-escola, ensino fundamental, e serviços de escritório e apoio administrativo; todas essas três últimas com mais de 17 mil vagas geradas cada. 

    Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS.

    - Publicidade -

    Mais Recentes