Entretenimento, Cultura e Lazer

China estuda misturar vacinas para aumentar eficácia contra a Covid-19; entenda

A principal autoridade de controles de doenças da China está considerando misturar vacinas contra a Covid-19. Segundo Gao Fu, diretor do Centro para o Controle e Prevenção de Enfermidades, esse procedimento seria para aumentar a eficácia das vacinas desenvolvidas pelo país.

++ Fiocruz produzirá em outubro, a vacina contra Covid-19 totalmente nacional

“Inoculação usando vacinas de diferentes linhas técnicas está sendo considerada”, afirmou o profissional em entrevista coletiva na cidade de Chengdu no último sábado (10). Dados disponíveis mostram que as vacinas chinesas têm uma eficácia menor que as vacinas da Pfizer e da Moderna. 

No entanto, os imunizantes chineses exigem um controle menos rígido de temperatura para armazenagem. “As autoridades têm que pensar em formas de resolver o problema dos níveis de eficácia das vacinas, que não são altos”, ressaltou o site chinês ‘The Paper’.

++ Pfizer e BioNTech anunciam eficácia de 100% da vacina contra a Covid-19 em adolescentes

Segundo a CNN, a entrevista chamou atenção pois é a primeira vez que um especialista chinês fala sobre a ‘baixa’ eficácia das vacinas, enquanto Pequim segue firme com sua campanha de vacinação. Segundo Gao Fu, uma solução para a questão da eficácia seria alternar o uso de doses de vacinas elaboradas com diferentes tecnologias. 

Vale lembrar que esse procedimento já é estudado por especialistas sanitários de outros países. A China conta com quatro imunizantes, com níveis de eficácia menores que os da vacina Pfizer-BioNTech, de 95% e da Moderna, com 94%.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS.