Entretenimento, Cultura e Lazer

Tráfico de animais silvestres: Como funciona e os impactos causados

Desde que o brasileiro Pedro Henrique Kranbeckk foi picado por uma naja em sua casa, um assunto importante e pouco falado veio à tona: o tráfico de animais silvestres.

Pedro cursa veterinária em Brasília e mantinha uma cobra naja em seu apartamento. Após ser picado pelo animal e quase morrer, a polícia descobriu que ele era proprietário de outras diversas cobras que não existem no Brasil, e agora investiga se Pedro faz parte de um grande esquema de tráfico de animais silvestres, que movimenta bilhões de reais todos os anos e é uma prática ilegal.

Tráfico de animais silvestres

O tráfico de animais silvestres é um assunto pouco debatido pela população. Apesar de todas as campanhas de conscientização, da fiscalização ostensiva e das centenas de apreensões realizadas, o tráfico continua acontecendo no mundo todo.

Segundo as Organizações Não Governamentais que combatem o tráfico de animais nas florestas brasileiras, essa prática pode ser classificada como a terceira maior organização clandestina e criminosa em movimento de dinheiro no Brasil, perdendo somente para o tráfico de drogas e de armas. Diariamente animais são capturados nas matas brasileiras e do mundo todo, aumentando o risco de extinção de muitas espécies.

O Decreto Federal 3179 do ano de 1999, impõe as sanções para os traficantes e infratores, com pesadas multas que vão de 500 reais até o valor de 5 mil reais por animal preso em cativeiro, além da prisão inafiançável.

Números

Segundo a Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres), a estimativa é de que todo ano 38 milhões de espécimes sejam retiradas da natureza brasileira.

O comércio ilegal da fauna brasileira representa uma enorme possibilidade de lucro: cerca de R$ 3 bilhões por ano só no Brasil.  A vantagem para os traficantes vem no pouco que se é gasto com a captura desses animais. Quando não roubam os animais da natureza, pagam alguém para fazer.

Como funciona

Os traficantes de animais silvestres e animais protegidos formam uma grande rede com muitas pessoas envolvidas, no Brasil e também no exterior. Os animais são capturados e transportados sem nenhum cuidado e em condições precárias, pois a necessidade de se esconder da fiscalização faz com que essas pessoas submetam os animais a situações absurdas fazendo com que cerca de 40% morra antes de chegar ao destino final.

Alguns desses animais só tem valor se entregues vivos, porém o comércio de animais também envolve a comercialização de órgãos de determinados animais para a fabricação de produtos e também da pele.

Consequências do comércio Ilegal

As consequências desse tipo de comércio são inúmeras. Há o risco de extinção de diversas espécies de animais, especialmente de mamíferos que foram dizimados pelos traficantes.

O comércio de animais é uma atividade que muitas vezes atinge os limites da crueldade, como por exemplo na África, onde os elefantes são mortos por caçadores apenas para a retirada de suas presas, ou de animais que são escalpelados vivos para garantir a qualidade de sua pele.

Mas não são somente os grandes e bonitos animais que são alvo dos traficantes, os insetos, anfíbios, serpentes e outros animais também são muito requisitados por fabricantes de remédios e outros produtos químicos.

Também existem as pessoas que gostam de domesticar alguns animais silvestres, o que é crime e proibido.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS