Entretenimento, Cultura e Lazer

Modelo Adut Akech acusa revista australiana de racismo; entenda

 

Recentemente, a modelo Adut Akech, conhecida por trabalhos em grandes marcas como Chanel e Saint Laurent, deu uma entrevista para a publicação Who Magazine e teve sua matéria ilustrada com a foto de uma outra top model negra.

++ Cris Vianna faz desabafo sobre racismo: “Mulher preta não fica rica rápido”

Na entrevista, Adut falou sobre moda e sobre seu trabalho com refugiados quenianos, já que ela já foi refugiada na Austrália e hoje exerce um trabalho voluntário. No entanto, ao publicar a matéria, a revista usou uma foto da modela Flavia Lazarus no lugar de Adut Akech.

Em seu Instagram, Akech desabafou, falou sobre o que tinha acontecido e disse que se sentiu profundamente magoada, brava e desrespeitada.

“Eu pensei muito nos últimos dias em como falar sobre essa situação que não está me fazendo bem. Para aqueles que não sabem o que aconteceu, na semana passada a Who Magazine (Austrália) fez um artigo sobre mim. Na entrevista, eu falo sobre como as pessoas veem refugiados e a atitude das pessoas com negros em geral. Junto com a matéria, eles publicaram uma grande foto dizendo que era eu. Mas, na verdade, era uma outra garota negra. Isso me deixou magoada, com raiva e fez com que eu me sentisse muito desrespeitada. Para mim, é inaceitável e indesculpável sob qualquer circunstância. Eu não só me sinto pessoalmente ofendida e desrespeitada, como eu sinto que toda a minha raça foi desrespeitada também. E é por isso que eu sinto que é importante falar sobre isso. Quem fez isso claramente achou que era eu naquela foto e isso não é okay. Isso é uma grande questão por conta do que eu falei em minha entrevista. Por isso ter acontecido, eu sinto que o propósito do que eu defendo e falei sobre foi derrotado. Isso mostra que as pessoas são muito ignorantes e com a cabeça pequena, e acreditam que toda garota negra ou pessoa africana se parecem“, escreveu Adut na legenda da publicação.

Ela continuou: “Eu acredito que isso não teria acontecido com uma modelo branca. Minha intenção não é criticar a Who Magazine (eles se desculparam comigo diretamente), mas eu sinto que preciso expressar publicamente o que eu penso. Isso tudo me afetou profundamente e nós precisamos começar uma conversa importante. Eu tenho certeza de que eu não sou a primeira pessoa que passou por isso e nós temos que acabar com essa situação. Eu já fui chamada pelo nome de outra modelo que é da mesma etnia do que eu, o que é muito ignorante, rude e desrespeitoso para nós duas simplesmente porque nós sabemos que isso não acontece com modelos brancas. Eu gostaria que isso que aconteceu funcionasse para que as pessoas da indústria acordassem e percebessem que isso não é OK e que é preciso fazer melhor. Grandes publicações precisam ter certeza de que seus fatos foram checados antes de publicarem, especialmente quando se trata de uma matéria real e entrevista, e não apenas um rumor. Para aqueles que trabalham em desfiles, é importante não misturar o nome das modelos. Austrália, você tem muito trabalho para fazer e precisa melhorar, e isso serve pata o resto da indústria”.

Após o post da modelo, a revista Who Magazine se pronunciou e culpabilizou a agência que organizou a entrevista. Segundo um comunicado feito pelo escritório de relações públicas OPR, eles enviaram a foto errada para a publicação devido a um problema interno. Ambos pediram desculpas pelo episódio.

View this post on Instagram

I’ve have given some deep thoughts the past few days on how to approach this situation that isn’t sitting well with me.  For those who are not aware, last week @whomagazine (Australia) published a feature article about me. In the interview I spoke about how people view refugees and peoples attitude to colour in general. With the article they published a large photo saying it was me. But it was of another black girl. This has upset me, has made me angry, it has made me feel very disrespected and to me is unacceptable and inexcusable under any circumstances. Not only do I personally feel insulted and disrespected but I feel like my entire race has been disrespected too and it is why I feel it is important that I address this issue. Whoever did this clearly the thought that was me in that picture and that’s not okay. This  is a big deal because of what I spoke about in my interview. By this happening I feel like it defeated the purpose of what I stand for and spoke about. It goes to show that people are very ignorant and narrowminded that they think every black girl or African people looks the same. I feel as though this would’ve not happened to a white model. My aim for this post is not to bash Who Magazine -they have apologised to me directly – but I feel like I need to express publicly how I feel. This has deeply affected me and we need to start an important conversation that needs to happen. I’m sure that I’m not the first person that’s experienced this and it needs to stop. I’ve been called by the name of another models who happens to be of the same Ethnicity, I find it very ignorant, rude and disrespectful towards both of us simply because we know that this doesn’t happen with white models. I want this to be somewhat of a wake up call to people within the industry it’s not OK and you need to do better. Big publications need to make sure that they fact check things before publishing them especially when its real stories and interviews and not just some made up rumors. To those who work at shows and shoots it’s important that you don’t mix up models names. Australia you’ve a lot of work to do and you’ve got to do better and that goes to the rest of the industry

A post shared by Adut Akech Bior (@adutakech) on

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS