Entretenimento, Cultura e Lazer

Após ser demitido por tweets ofensivos, ex-diretor de “Guardiões da Galáxia” se desculpa

 

James Gunn, diretor dos filmes “Guardiões da Galáxia” e “Guardiões da Galáxia Vol 2” foi demitido na última sexta-feira (20), após a descoberta de tweets antigos de sua autoria sobre estupro e pedofilia. Ao site The Wrap, o diretor comentou a decisão da Disney de demiti-lo da produção do filme.

++ Mãe de Cory Monteith revela que foi Lea Michele quem a contou sobre morte do filho: “Ela estava gritando”

“Meus comentários de quase uma década atrás, na época, falharam na intenção de provocar. Eu me arrependi deles por muitos anos –não apenas por serem estúpidos, sem graça, insensíveis e certamente não tão provocativos quanto imaginei, mas porque não refletem a pessoa que sou hoje e tenho sido por um bom tempo”, falou.

Nos tweets de 2008, 2009 e 2010, o diretor fazia menção à pedofilia com frases do tipo: “Eu gosto quando meninos tocam nas minhas partes baixas”; “Estou adaptando ‘The Giving Tree’ com um final feliz, quando árvore cresce de novo e faz sexo oral na criança”, dentre outros no mesmo teor.

Apesar de tanto tempo já ter passado, eu entendo e aceito as decisões tomadas hoje. Ainda após tantos anos, eu tenho total responsabilidade pelo jeito com o qual me conduzi”, disse James ao The Wap.

Gunn finalizou a declaração com um pedido de desculpasTudo o que posso fazer agora, além de oferecer minhas sinceras desculpas, é ser o melhor ser humano possível: aceitar, entender, me comprometer com a igualdade e ser muito mais cuidadoso com minhas opiniões públicas. Para todos dentro da minha indústria e além, novamente peço minhas sinceras desculpas”.

A terceira parte do longa, “Guardiões da Galáxia Vol. 3”, tem estreia prevista nos cinemas para 2020 e já está em andamento. A Disney ainda não tomou decisões sobre quem vai substituí-lo no comando da franquia.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS