Entretenimento, Cultura e Lazer

Nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil está controlada

A enorme nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil está controlada e o risco de chegada agora é baixo. A Argentina continua monitorando pelo menos 10 nuvens de gafanhotos no país.

++ Com previsão de neve, hotéis em Santa Catarina atingem lotação máxima

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentar (Senasa) considera que, das 10 nuvens, 2 já estão controladas: uma é a da fronteira entre Argentina, Brasil e Uruguai e outra no centro do país.

8 nuvens continuam ativas e estão mais para a região central e para o norte da Argentina, perto da fronteira com o Paraguai, que é o local de origem da formação das nuvens de gafanhotos. Essas estão consideravelmente longe do Brasil.

 

“A nuvem detectada em Corrientes e Entre Rios (fronteira com o Brasil) já está controlada há algumas semanas (…) Continuamos com a vigilância, mas, até agora, nenhuma nova ocorrência foi registrada. Essa área foi rebaixada da categoria de risco vermelho para amarelo, o que significa cautela”, diz o comunicado do Senasa.

Outro fator que impede a nuvem de avançar é o frio. A massa de ar frio que o Sul do Brasil registra nos últimos dias deve fazer com que os gafanhotos adormeçam. A condição ideal para que eles se reproduzam e voem ocorre no calor.

O frio também está intenso na Argentina, Paraguai e Uruguai, com temperaturas muito baixas e negativas. Na teoria, o frio diminui a atividade dos gafanhotos.