Entretenimento, Cultura e Lazer

Por que as olheiras ficam mais evidentes no inverno?

“Massagear a região das pálpebras funciona como uma drenagem linfática e pode ajudar diminuir o edema da área”, pondera a dermatologista que dá o passo a passo. (Foto: Unsplash)
“Massagear a região das pálpebras funciona como uma drenagem linfática e pode ajudar diminuir o edema da área”, pondera a dermatologista que dá o passo a passo. (Foto: Unsplash)

Muitos são os fatores que podem provocar olheiras, como noites mal dormidas, envelhecimento cutâneo, alergias e até mesmo hereditariedade. Mas de acordo com a dermatologista Vanessa Perusso, o que muitas pessoas não sabem, é que os dias frios também podem contribuir com seu aparecimento. Para amenizar o aspecto escurecido ao redor dos olhos, a especialista explica quais são os principais tipos de olheiras e como tratá-las.

O QUE SÃO OLHEIRAS E POR QUE FICAM MAIS EVIDENTES NO INVERNO?

“Basicamente, as olheiras são manchas escuras localizadas nas pálpebras que aparecem em decorrência de vasinhos que se tornam visíveis abaixo da camada fina de pele. Para se ter uma ideia, a pele do restante do corpo pode vir a ter cerca de 2 milímetros de espessura, enquanto a pele da região dos olhos tem em média 0,5 milímetro. Por isso, essa área está mais favorável ao aparecimento de colorações escuras”, explica Vanessa.

De acordo com a profissional o motivo das olheiras ficarem mais evidentes durante os meses frios, é a falta de exposição à luz solar. “No inverno, nossa pele fica naturalmente mais pálida, fazendo com que a área que contorna os olhos seja realçada e as manchas escuras potencializadas pelo menor nível de vitamina D no organismo.”

QUAIS SÃO OS TIPOS DE OLHEIRAS?

  • Olheiras profundas – são recorrentes em pessoas com o globo ocular naturalmente mais profundo, por questões genéticas, ou por perderem o preenchimento natural devido ao envelhecimento ou perda intensa de peso.
  • Olheiras vasculares – podem apresentar tons azulados, arroxeados ou avermelhados e aparecem devido à má circulação do sangue depois de noites mal dormidas.
  • Olheiras pigmentares – geralmente são identificadas pelos tons amarronzados e são mais frequentes em pessoas com excesso de melanina ao redor dos olhos.
  • Olheiras mistas – este é o tipo mais comum entre as possíveis olheiras, são as que possuem mais de uma causa e que, muitas vezes, estão associadas ao seu desenvolvimento, como genética, bolsas de gordura ou flacidez, acúmulos de vasos, entre outros.

COMO TRATÁ-LAS?

  • Máscaras faciais – “Máscaras desenvolvidas especialmente para essa área do rosto, como os adesivos em gel, são super indicadas para melhorar o aspecto das olheiras. Em sua formulação, vale observar se o produto contém o ativo acetil tetrapeptídeo. Isso porque a substância tem ação descongestionante e antiedematosa para a região periocular, promovendo sensação de relaxamento na região dos olhos e reduzindo marcas de expressão e olheiras”, aponta a dermatologista.
  • Compressas de água – Para suavizar as olheiras, Vanessa indica compressas de água fria. “A baixa temperatura das compressas provoca a vasoconsticção, que nada mais é do que a diminuição dos vasinhos pela redução de circulação do sangue na área sensível”, explica. Porém, Vanessa faz um alerta, “é importante não deixar a compressa muito gelada, já que, por ter a pele mais fina, a região pode queimar com mais facilidade.”
  • Massagens na região – “Massagear a região das pálpebras funciona como uma drenagem linfática e pode ajudar diminuir o edema da área”, pondera a dermatologista que dá o passo a passo. “Aplique um creme próprio para a região dos olhos e com o dedo anelar deslize com suavidade, do canto interno da pálpebra superior para o canto externo, fazendo uma leve pressão. Depois, repita o processo na parte inferior dos olhos. Para finalizar, dê leves batidinhas na região com a ponta dos dedos indicador e médio.”

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS