Entretenimento, Cultura e Lazer

Adormecer vendo televisão pode ser um problema!

Dormir no sofá assistindo TV (Foto: Adrian Swancar / Unsplash)
Dormir no sofá assistindo TV (Foto: Adrian Swancar / Unsplash)

Deixar-se dormir no sofá assistindo a sua série favorita está fora de questão. Descubra o porquê e veja o que pode ser feito como alternativa.

Já muito se escreveu sobre o ritual de adormecer. A mais recente pesquisa indica a luz da lua como influenciadora do nosso sono, mas também se sabe que não devemos dormir com meias ou com os pés virados para porta, além de diversas outras crendices.

A estas ideias, juntam-se outras noções mais ou menos conhecidas, como por exemplo: antes de dormir devemos evitar a cafeína ou o álcool, jantares muito pesados e, como não podia deixar de ser, os aparelhos tecnológicos devem ser postos de lado pelo menos uma hora antes de ir dormir. Televisão incluída.

E é mesmo sobre a televisão que aqui lhe falamos. A primeira coisa a saber é que não se deve, de modo algum, adormecer a olhar para a TV.

Durante uma entrevista concedida no dia 2 de março ao site Madame Figaro, a psiquiatra Vanessa Slimani – Diretora do Centro Interdisciplinar do Sono em Paris – e o neurologista Marc Rey – Presidente do Instituto Nacional do Sono e Vigília da França, declararam o que a ciência já sabe sobre entre assunto: Deve-se evitar adormecer no sofá assistindo televisão (ou pior, levar a TV para dentro do quarto). Dentre as razões, destacam-se:

A luz azul – São já conhecidos os malefícios deste tipo de iluminação para o envelhecimento da pele. Mas há mais: a luz caraterística dos gadgets eletrônicos, como computadores, smartphones ou televisores, por ser tão semelhante ao brilho da manhã, confunde o relógio biológico (regulado pelo ciclo circadiano), dando a entender que é de dia e que por isso precisamos estar despertos. Mas pior, esta luz impede mesmo a produção de melatonina, o hormônio que regula o sono.

Sono em fragmentos – O ciclo de descanso é tremendamente afetado pelo ato de adormecer em frente à televisão. Verdade seja dita, durante este tempo, quantas vezes não acorda no meio da noite? É o resultado das alterações sonoras – muito comuns nos intervalos entre os programas – mas também pelo fato da estimulação visual ser muito variável, tornando o “sono” muito pouco reparador.

Conteúdo ‘impróprio’ – O que vemos antes de dormir também tem uma grande influência no próprio sono. Não é grande novidade que conteúdos demasiado empolgantes, como thrillers e filmes ou séries de terror não promovem um sono tranquilo. Até porque despertam emoções intensas em nós. Da mesma forma, notícias sensacionalistas e fake news também não são a melhor opção. Já ler sobre a pandemia antes de dormir, também estará fora de questão. Para compreender, biologicamente o que acontece saiba que a libertação dos hormônios da adrenalina e cortisol gera um efeito estimulante. Adormecer zangado com o seu parceiro também não será bom, já que sentimentos como a raiva e o descontentamento promovem esta mesma libertação de hormônios. A ideia é que se sinta o mais seguro possível na hora de deitar.

Agora que já percebeu as razões subjacentes ao ato de não adormecer em frente à televisão, damos-lhe algumas sugestões do que pode efetivamente fazer: tomar um banho relaxante com direito a óleos essenciais nunca fez mal a ninguém, o mesmo se aplica a beber um chá quente – sem ingredientes estimulantes. Por outro lado, delicie-se com uma refeição mais ligeira à noite e guarde os aparelhos eletrônicos uma hora antes de se deitar. Ocupe este tempo com atividades relaxantes como ler ou ouvir música. E não se esqueça, aposte somente em luzes quentes, em tons de amarelo ou laranja – a luz azul continua de fora.

Curta nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS.