Entretenimento, Cultura e Lazer

Na quarentena a dois, saiba como evitar o estresse na relação

A pandemia do novo coronavírus, o covid-19, trouxe novos desafios para todas as pessoas. Recentemente, a apresentadora Fernanda Gentil revelou que ela e a jornalista Priscila Montandon já tiveram brigas conjugais devido a quarentena. Afinal, os casais não têm mais os intervalos de horários de trabalho ou nem mesmo uma eventual saída com amigos durante a semana. A convivência se tornou ininterrupta. Como fazer?

++ Fernanda Gentil revela brigas conjugais durante quarentena

“Ou a gente descobre uma maneira diferente de resolver as coisas ou não vai sobreviver”, disse a apresentadora durante uma live do jornal O Globo.

E o que fazer para sobreviver a dois sem que o casamento, namoro ou relacionamento sério acabe com a pandemia?

“Neste momento de quarentena, temos que primeiro nos equilibrar emocionalmente. Não está sendo fácil para ninguém. A relação tem que ser positiva, para casais, a sugestão é voltar a namorar e relembrar do início da relação. Neste processo, falar das coisas lá do início, que os atraia e com isso fazia os dois felizes. Evitar conversas sobre assuntos graves, que são de difícil solução, e focar naquilo é que fácil e está as mãos. Tentar enriquecer a relação com jogos, criatividade, filmes românticos entre outras coisas. Com as alternâncias de gostos, um dia cada um escolhe as melhores coisas a serem feitas, para com isso, sair do maior perigo da quarentena, a monotonia e falta de perspectivas”, explica o psicanalista Gregor Osipoff.

Sucesso na série “Vai Que Cola”, do Multishow, e na reprise de “Avenida Brasil”, o ator Emiliano D’Avila e sua esposa, a atriz Natália Rosa, já estão habituados com a parceria. A receita para enfrentar a quarentena com os cachorros foi garantir a saúde em dia juntos, mas também reservar o tempo de cada um.

“Compramos uns halteres e temos malhado juntos, incluímos o alongamento em que às vezes ela me ajuda e vice-versa. Na academia era cada um por si.
Almoçamos todos os dias juntos também. E estamos assistindo duas séries também. Revendo “Homeland”, que havíamos parado na 4a temporada, e, agora, recomeçamos do início e já estamos na quinta. E também assistimos “Better Call Saul”, explicou.

Além de curtirem seus pets, o casal também tem o tempo para si. Emiliano tem trabalhado escrevendo uma série de TV e um longa além de discutir estratégias sobre um restaurante vegano que mantém em São Paulo. “Tenho momentos de ligar e conversar com outros amigos.E quase diariamente tenho jogado xadrez on line com um amigo”, revela.

Para o psicólogo Moisés Luz, nos dias de hoje há muitos motivos para casais brigarem entre si. Desde divergências políticas em um ambiente de polarização até o medo de não conseguir pagar as contas ou do desemprego.

“Numa vida cotidiana normal já é dificil evitar o estresse nos relacionamentos imagine numa quarentena, onde são praticamentes obrigados a ficar confinados 24 horas por dia? Com o trabalho, esse estresse tende a diminuir. Trabalhamos de seis a oito horas, nos sentimos úteis, com a ociosidade de uma quarentena, pode nos causar um sentimento de impotência, o que nos torna sensíveis com um alto grau de iritabilidade”, explica.

Para o casal de pesquisadores Leonardo Azevedo e Amanda Mendes, a rotina pode ser menos difícil se houver disciplina. Com dois filhos, os dois já sentiam falta de tempo para exercerem atividades individualmente, mas agora a quarentena soa mais fácil.

“O que nós temos é uma rotina mais ou menos rígida, com tarefas delimitadas. De manhã, fico com as crianças e cuido da casa, e ela fica sozinha trabalhando. De tarde, trocarmos. Almoçamos juntos, umas 18h vemos um filme com as crianças, jantamos, e, depois que a crianças dormem, temos um tempo nosso. Geralmente, assistimos séries”, afirma Azevedo.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS