Entretenimento, Cultura e Lazer

“Bala perdida todo dia”, relembra Gaby Amarantos sobre infância

A mais nova técnica do “The Voice Kids”, Gaby Amarantos, relembrou sua infância difícil em entrevista ao Jornal Extra. A cantora falou sobre algumas dificuldades que passou crescendo em um bairro violento em Belém do Pará.

“Se equivale a uma favela aqui no Rio de Janeiro. Era bala perdida todo dia. A gente ia para escola e passava por corpos estendidos na esquina por causa de chacina ou operação da polícia”, explicou Gaby.

A cantora citou a mãe com orgulho: “No lugar de extrema violência onde a gente vivia, ela me protegia, crime ainda normalizado por lá”.

“Ela não era mãe de miss, era mãe de artista. Fez o que pôde para eu gostar de ler, de ouvir música…”, continuou.

Dona Elza, mãe de Gaby, faleceu vítima de um câncer no pulmão em 2015, aos 69 anos de idade. “Era o couro comendo lá fora, e minha mãe em casa me enfeitando, me botando para desfilar, desenhar, pintar, cantar”, relembrou.

++ “Haters são um mal necessário”, dispara Geisy Arruda

“A arte me salvou no meio disso tudo, e ela foi e é minha maior inspiração. Deu asas aos meus talentos, entendeu que eu tinha uma parada diferente desde muito pequena”, completou Amarantos.

A sexta temporada do “The Voice Kids” já começou e nessa edição Gaby Amarantos se juntou ao corpo dos jurados, ao lado de Michel Teló e Carlinhos Brown.

A paraense contou que sempre se emociona ao ver as crianças cantando: “São crianças, são adolescentes, mas são artistas. Artistas com potencial, talento, que estão no início da caminhada e cheios de vontades de fazer, de realizar, mas que também têm seus medos, suas inseguranças e que enchem nosso coração de humanidade”, finalizou.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS