Entretenimento, Cultura e Lazer

Relembre a carreira e os principais trabalhos de Nicette Bruno

Nicette Bruno faleceu em decorrência do covid-19. (Foto: Instagram)
Nicette Bruno faleceu em decorrência do covid-19. (Foto: Instagram)

A atriz Nicette Bruno faleceu na tarde deste domingo (21), por complicações do covid-19, que assolou o mundo e voltou a ter uma crescente de casos e mortes no Brasil nos últimos dias. 

Aos 87 anos, a atriz estava internada com Covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro. De acordo com o boletim médico, o caso de Nicette seria “muito grave” e ela já estaria sedada e dependente de ventilação mecânica antes do falecimento.

Relembre a carreira da atriz 

Nicette Xavier Miessa nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, no dia 7 de janeiro de 1933. A atriz começou sua carreira ainda pequena, aos 4 anos de idade, em um programa infantil na Rádio Guanabara. 

Com cerca de 9 anos de idade, a jovem se interessou pelo teatro e ingressou no grupo da Associação Cristã de Moços (ACM). Depois disso, passou pelo Teatro Universitário e pelo Teatro do Estudante, criado pelo ator Paschoal Carlos Magno. 

Aos 14 anos, Nicette já era atriz profissional na Companhia Dulcina-Odilon na qual estreou na peça “A filha de Iório“. Pela atuação como Ornela, recebeu prêmio como atriz revelação da Associação Brasileira de Críticas Teatrais. 

Aos 19 anos, a atriz conheceu Paulo Goulart, com quem compartilhou quase 60 anos de casamento, ao contracenar com o ator na peça “Senhorita Minha Mãe”, no Teatro de Alumínio, futuro Paço Municipal, em São Paulo. 

Os dois se casaram dois anos depois, em 1954, e ficaram juntos até a morte do ator, em 2014. Juntos, tiveram três filhos: Paulo Goulart Filho, Bárbara Bruno e Beth Goulart. 

E veio a óbito neste domingo (21). (Foto: Instagram)
A atriz veio a óbito neste domingo (21). (Foto: Instagram)

++ Filhos de Nicette Bruno agradecem carinho do público: ‘Como se nos dessem colo’

“Eu e Paulo tínhamos uma afinidade cênica muito grande. Tanto que nos conhecemos em cena, né?”, disse a atriz à Globo certa vez, ressaltando a parceria dos dois em seguida: “Trabalhar juntos era muito bom, porque tínhamos a mesma seriedade, sabíamos separar a nossa relação. Quando estávamos em cena, éramos personagens, não a nossa individualidade.” 

Além da parceria em cena, o casal também fundou em 1953 a companhia Teatro Íntimo de Nicette Bruno, que teve participação de nomes como Tônia Carrero e Walmor Chagas. 

Pouco tempo antes, começou sua carreira na televisão. Em 1950, com a estreia da TV Tupi, participou de recitais e de teleteatros. Em entrevista a Globo, a atriz relembrou a época das novelas ao vivo: “Tudo isso era a época de televisão ao vivo, não havia ainda o videoteipe. Nós fazíamos televisão como fazíamos teatro. Era um teatro televisionado. Com o videoteipe, começou-se a se criar uma nova linguagem de atuação em televisão”. 

Na emissora, atuou na primeira adaptação do “Sítio do Picapau Amarelo”, exibida entre 1952 e 1962. Anos depois, estrelou uma segunda versão da obra de Monteiro Lobato, produzida pela Globo entre 2001 e 2004, como Dona Benta. 

Nicette foi para a Globo em 1981 para fazer parte do elenco do seriado “Obrigado, doutor”. A atriz permaneceu por anos na emissora, estrelando diversas novelas que encantaram o país. Confira abaixo alguns dos principais trabalhos da atriz na emissora: 

  • Rosa dos Ventos (1973); 
  • Éramos Seis (1977). Selva de Pedra (1986); 
  • Bebê a Bordo (1988); 
  • Rainha da Sucata (1990); 
  • Mulheres de Areia (1993); 
  • A Próxima Vítima (1995); 
  • Sítio do Picapau Amarelo (2001–04); 
  • Alma Gêmea (2005); 
  • Sete Pecados (2007); 
  • A Vida da Gente (2011);  
  • Salve Jorge (2012); 
  • Joia Rara (2013); 
  • I Love Paraisópolis (2014); 
  • Pega Pega (2017); 
  • Órfãos da Terra (2019); 
  • Éramos Seis (2020). 

Velório 

A família anunciou o velório para esta segunda-feira (21) às 11h. O momento será fechado para família e amigos próximos.

A cremação será às 13h30 no Cemitério da Penitência, no Caju. As cinzas vão ser levadas para o jazigo da família em São Paulo, onde está enterrado o ator Paulo Goulart. 

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS.