Entretenimento, Cultura e Lazer

Stênio Garcia fala sobre Flávio Migliaccio e saída da Globo

O ano de 2020 não está sendo fácil para Stênio Garcia. Aos 88 anos, ele perdeu seu status de ator da rede Globo e ainda viu a esposa passar por sérios problemas médicos. No domingo (14), a jornalista Fábia Oliveira conversou com um dos artistas mais consagrados do Brasil para falar sobre o momento difícil que ele e a classe artística nacional vive.

++ Stênio Garcia demonstra mágoa: “deveria ter pedido a demissão”

“É um mal cultural do Brasil, infelizmente, e principalmente nesta área pouco necessária que é a cultura. Quando eu falo pouco necessária, falo na questão de importância que muitos setores dão para a nosso área, mas para nós, artistas e amantes da arte, a cultura é vital”, explicou Stênio.

Com a bagagem de convivência com alguns dos maiores atores e atrizes da TV brasileira, ele revelou como o suicídio de Flávio Migliaccio lhe impactou. Os dois começaram nos palcos quase ao mesmo tempo, mas em salas diferentes. “Ele no Teatro de Arena e eu no Cacilda Becker. Depois, começamos juntos também na televisão. Um ser humano incrível e não havia como não gostar dele. O sacrifício dele em nome da história, que abriu mão da própria vida, para se manifestar. Foi triste e um baque para todo mundo que conviveu com ele”, desabafou Garcia.

O ator ainda não superou sua saída da emissora e resolveu falar a respeito mais uma vez. “Nunca tive problemas com a emissora e considerava a Globo como a minha casa. Na verdade, ainda considero muito a emissora, onde trabalhei bastante. Eu saía de um trabalho e entrava no outro e isso quando não fazia dois ao mesmo tempo. Tenho muito amor, respeito e gratidão pela Globo. Mas, desde 2013, eu não era mais chamado para trabalhar…”, criticou.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS.