Entretenimento, Cultura e Lazer

Escola desocupada em São Paulo é locação de ‘Segunda Chamada’, a nova série da Globo

Segunda Chamada, nova série da Globo – com estreia prevista para outubro – está vindo com tudo! A fictícia Escola Estadual Carolina Maria de Jesus local será o cenário principal da trama que exalta histórias de superação do ensino noturno para jovens e adultos. Tudo isso na rotina de uma escola pública de São Paulo, em que pessoas entre 17 e 70 anos buscam uma vida melhor por meio dos estudos, depois de um dia duro de trabalho.

ENTENDA A TRAMA DA SÉRIE

Na história escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini, os professores Lúcia (Debora Bloch), Eliete (Thalita Carauta), Marco André (Silvio Guindane) e Sônia (Hermila Guedes), em conjunto com o diretor Jaci (Paulo Gorgulho) mostram que é preciso mais do que vocação para enfrentar as dificuldades da profissão, renovar a fé no que fazem e apoiar alunos, em uma luta pela simples crença no poder transformador da Educação.

A ESCOLA FICTÍCIA

A locação da Escola Estadual Carolina Maria de Jesus é uma construção histórica e bastante simbólica para a capital paulista, erguida nos anos 50 para acolher a Escola do Jockey Club de São Paulo.

Durante décadas, abrigou também outros colégios particulares e, há aproximadamente 10 anos, está desocupada. Sem qualquer sistema hidráulico ou elétrico, a situação é tão precária que, mesmo para uma escola pública em que a infraestrutura é deficiente, o local teve que passar por uma reforma de cerca de quatro semanas, pelas mãos das equipes de arte e cenografia.

No complexo de 3.390 metros quadrados, o trabalho foi feito em ambientes como a fachada, entrada lateral, banheiros, anfiteatro, pátio interno, terraço recreativo e em algumas salas. Nestes locais fechados, foram fundamentais algumas restaurações no piso, lousa, estantes fixas e janelões. Carteiras, mesas dos professores, livros, cadernos, pastas e cartazes nas paredes, simbolizando o trabalho ativo dos alunos, preencheram os espaços.

A escola como personagem

A escola em si funcionou como um personagem da história, emprestando seus principais valores à série: o realismo latente de sua pintura descascada, infiltrações, vidros estilhaçados e de suas pichações nas paredes. Tudo isso ficou de fora da reforma.

“Desde o começo, pensei em gravar ‘Segunda Chamada’ em uma escola de verdade. Para mim, foi muito importante deixar a obra o mais próximo possível da realidade, o que uma locação como esta nos garantiu. Apesar do abandono, a construção é linda e quisemos aproveitá-la”, destacou Joana Jabace, diretora artística da série.

Débora Bloch, que interpreta a professora Lúcia, concorda com a importância da escola para a costura da história e, assim como sua personagem, defende o tema em discussão:

“O que temos de mais valioso em uma sociedade é a Educação, com seus professores, que são as figuras que formam a nós e a nossos filhos. As escolas lutam contra diversos problemas, desde instalações precárias até a evasão escolar, e o ambiente em si reflete esses dramas. Estar aqui nos ajuda a entender esse universo e contribui para mostrar o ensino noturno da maneira mais fiel possível”, acredita a atriz.

A trama conta com nomes como Debora Bloch, Paulo Gorgulho, Hermila Guedes, Thalita Carauta, Silvio Guindane, Carol Duarte, Nanda Costa, Caio Blat, Teca Pereira, Felipe Simas e Linn da Quebrada. Com previsão de estreia em outubro, Segunda Chamada, uma coprodução da Globo com a 02 Filmes, é uma série criada por Carla Faour, Julia Spadaccini e Jo Bilac, escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini, com Maíra Motta, Giovana Moraes e Victor Atherino. A série conta com a direção artística de Joana Jabace e direção de Breno Moreira, João Gomez e Ricardo Spencer.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS