Entretenimento, Cultura e Lazer

Famosos celebram recorde de premiação para mulheres e negros no Oscar

Depois de 90 edições, 2019 parece ter sido um ano marcante, já que bateu o recorde de premiação para mulheres e negros no Oscar.

++ Confira um resumo dos melhores momentos do Oscar 2019

Conhecido por polêmicas que, por vezes, excluíram grupos específicos de sua lista de indicados, surpreendeu a audiência. Animados, os famosos comemoram o recorde de premiação para mulheres e negros no Oscar pelas redes sociais.

As celebridades brasileiras não ficaram fora dessa e celebraram a marca histórica. Ingrid Guimarães escreveu um texto emocionado: “Sim, está todo mundo a fim de Gaga e do Bradley. A cena foi tão linda que confundiu a gente. (Será que eles estão a fim um do outro?). Mas o que achei lindo foram tantas mulheres ganhando o Oscar em várias categorias, tantos vencedores dedicando para as mães, tantos negros indicados e ganhando, Melissa Macartney uma comediante sendo indicada a melhor atriz e Olivia fazendo um discurso engraçado e emocionado (me identifiquei)”.

Flávia Alessandra ressaltou a presença das mulheres: “É muito bom perceber as mulheres ocupando os espaços que desejam, virando vitrine e inspiração para tantas meninas no mundo. Já estamos em todos os lugares, cada vez mais e pra sempre”.

Gaby Amarantos comemorou a notícia: “É incrível ver o Oscar incluindo cada vez mais e deixando claro que a representatividade chegou para ficar. Vai ter mulheres, negros, LGBTQs, índios e todos os que não tinham vez e voz. Não tem mais volta!”.

Segundo informações do site “The Wrap”, foram 15 estatuetas para as mulheres, tirando as categorias destinadas a elas (“Melhor Atriz” e “Melhor Atriz Coadjuvante”), e sete para profissionais negros.

A última vez que tal fato ocorreu foi em 2007, quando 12 artistas do sexo feminino foram premiadas, mesmo número de 2015. A respeito dos afrodescendentes a situação mais recente foi em 2017, com cinco premiados.

Confira os responsáveis pelo recorde de premiação para mulheres e negros:

Regina King (Atriz Coadjuvante – “Se a Rua Beale Falasse”)

Mahershala Ali (Ator Coadjuvante- “Green Book – O Guia”)

Spike Lee e Kevin Willmott (Roteiro Adaptado – “Infiltrado na Klan”)

Hannah Beachler (Direção de Arte – “Pantera Negra”)

Ruth Carter (Figurino – “Pantera Negra”)

Peter Ramsey (Animação – “Homem-Aranha no Aranhaverso”)

Mulheres vencedoras:

Ruth Carter (Figurino – “Pantera Negra”)

Elizabeth Chai Vasarhelyi e Shannon Dill (Documentário – “Free Solo”)

Rayka Zehtabchi e Melissa Berton (Documentário Curta-Metragem – “Absorvendo Tabu”)

Kate Biscoe e Patricia DeHaney (Maquiagem – “Vice”)

Hannah Beachler (Direção de Arte – “Pantera Negra”)

Domee Shi e Becky Neiman-Cobb (Curta de Animação – “Bao”)

Jaime Ray Newman (Curta – “Skin”)

Nina Hartstone (Edição de Som – “Bohemian Rapsody”)

Lady Gaga (Canção Original – “Shallow” de “Nasce uma Estrela”)