More

    ‘BBB22’: Lucas comete erro em tratamento de Lina, que perde a paciência: “Não dá mais”

    Data:

    Durante a festa do Líder que rolou na madrugada desta quinta-feira (24), Lucas disse uma frase que incomodou muito Linn da Quebrada.

    Na pista de dança, o estudante de medicina errou o pronome da atriz e referiu a Lina e Natália como “esses dois”. Irritada, a cantora corrigiu o brother.

    “Pelo amor de deus, me desculpa. Você sabe que eu amo vocês”, pediu o rapaz. Contudo, Lina frisou que este erro é inceitável:  “Não dá mais para errar isso no meio do programa”.

    O brother voltou a pedir desculpas, mas a sister persistiu: “Eu posso até te desculpar, mas desse constrangimento agora eu não vou te desculpar”, disse ela.

    Anteriormente, Tadeu Schmidt precisou esclarecer a forma de tratamento de Lina após algumas gafes de outros participantes.

    “Você tem o pronome ‘ela’ tatuado acima da sua sobrancelha. Eu queria que você explicasse por que você fez essa tatuagem e que você dissesse, mais uma vez, reforçando como as pessoas devem se dirigir a você”, disse o apresentador na época.

    Após a situação, Lucas relatou o que ocorreu para seu affair, Eslovênia, que decidiu procurar a sister para pedir que seu boy fosse perdoado.

    Lina, entretanto, não aceitou o argumento: “Você está tentando aliviar a dor dele”, defendeu.

    ++ ‘BBB22’: Jade acusa Arthur de se aproveitar de participantes embriagados

    Foi aí que a ex-Miss tentou impedir a cantora de falar, colocando as mãos sobre sua boca. Incomodada, Lina pediu para que ela parasse.

    “Não tapa a minha boca”, disparou. “Jamais”, respondeu Eslovênia. “Mas não tapa a minha boca. Você já sabe o quanto eu chorei?”, questionou Lina.

    Eslovênia, então, comparou a dor que foi causada com seu próprio sofrimento: “Não. Você sabe o quanto eu chorei quando eu errei [o pronome]? Vou repetir, eu sei que faz tempo, sei que eu aprendi, mas eu fiquei muito mal”, disse.

    “Quando vão me acolher? Quando que a minha dor vai valer alguma coisa? Quando que cada vez que me matam vai valer alguma coisa? Porque cada vez que fazem isso, é como se ignorasse a minha existência”, justificou Lina.

    “Eu estou implorando pela minha vida. Eu estou gritando pela minha vida. Eu gritei aos quatro cantos, ‘eu matei o Júnior’, e mesmo assim ainda o chamam”, desabafou ela.

    Não deixe de curtir nossa página   no  Facebook  e também  no  Instagram  para mais  notícias  do JETSS. 

    Mais Recentes