Entretenimento, Cultura e Lazer

ADM de Juliette foi acusado de receber R$ 250 mil para criar fake news contra Haddad a mando de Serra, diz site

Os 20 milhões de seguidores conseguidos em cerca de dois meses não chamaram para Juliete Freire apenas a atenção de marcas interessadas em tê-la como garota-propaganda quando a sister deixar o confinamento, mas também para a equipe de administradores das redes sociais da advogada.

O grande responsável por trás das redes sociais da sister e que organiza as 20 pessoas da equipe da sister em prol da paraibana nas redes sociais é seu conterrâneo, Huayna Tejo. No entanto, de acordo com o jornal ‘O Extra’, esta não seria a primeira vez que o nome dele aparece em torno de uma campanha em sua vida.

Segundo a publicação, em 2012, ele foi acusado de criar uma página de fake news contra Fernando Haddad (PT) a mando José Serra (PSDB), na campanha eleitoral para a prefeitura de São Paulo, através de sua empresa, a Soda Virtual. 

++ Harry vai sem Meghan Markle ao funeral do príncipe Philip; saiba o motivo

De acordo com o ‘Extra’, a empresa teria supostamente recebido R$ 250 mil da campanha de Serra para prestar serviços de “criação e inclusão de páginas na internet”, segundo mostrou as prestações de contas parciais de Serra, na época.

O site criado em nome do candidato petista foi chamado de “Propostas Haddad 13”, e se assemelhava muito à linguagem utilizada no material de campanha do candidato em questão. Na página, havia uma série de propostas falsas atribuídas a Haddad, entre elas a construção de 50 escolas de lata e o aumento no IPTU de São Paulo.

Ao ser denunciada ao TRE, a página foi tirada do ar e um processo foi aberto contra o Google para a quebra de sigilo do IP. O endereço encontrado de onde saiu o conteúdo foi a mesma da agência de Huayna, em João Pessoa. 

Para o juiz Henrique Harris Júnior, da 1.ª Zona Eleitoral `de SP, as mensagens eram “passíveis de enquadramento, em tese, como ofensivas e sabidamente inverídicas, até mesmo com o emprego de imitação das fontes, cores e símbolos utilizados na sua campanha (de Haddad)”, proferiu em sentença, em outubro de 2012. 

Segundo a GVT, a conexão de internet usada para criar o site estava em nome de Huayna Batista Tejo, presidente da Soda Virtual. Em entrevista na época, o administrador da sister do BBB negou ter criado o site e disse que investigaria o ocorrido.

A empresa também teria sido responsável pela criação de “Angry Haddad”, o aplicativo para o Facebook da campanha de Serra que imitava o jogo Angry Birds e teve que ser retirado do ar por determinação da Justiça. A Justiça entendeu que não era possível condenar a empresa, mas condenou Huayna 

“Cabe frisar que as provas amealhadas no bojo desta representação indicaram que a propaganda irregular foi levada a efeito pelo representado, tanto que lhe sobreveio condenação por tanto”, diz um trecho da sentença proferida pelo Juiz-Relator do TRE-SP, Paulo Hamilton na época.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  e também no Instagram para mais notícias do JETSS.