Entretenimento, Cultura e Lazer

5 conselhos de um CEO para você alavancar sua empresa

O Brasil já conta com mais de 8 milhões de microempreendedores individuais (MEIs), segundo dados divulgados no último mês pelo Portal do Empreendedor, mantido pelo Governo Federal. Além disso, 379 mil novos negócios foram formalizados só nos três primeiros meses de 2019.

Para ajudar quem quer abrir um negócio ou já está dando seus primeiros passos como empreendedor, o JETSS conversou com o CEO da SumUp no Brasil, Fabiano Camperlingo, que separou cinco lições que aprendeu ao longo de mais de 10 anos de experiência em empresas na América Latina e Europa. O executivo está à frente da operação brasileira da fintech global de pagamentos móveis SumUp desde janeiro de 2019.

Confira os conselhos do CEO para você alavancar sua empresa:

1. Contrate somente os melhores

Para garantir uma boa performance, você precisará contar com profissionais acima da média — especialmente no estágio inicial da sua empresa. Ao contratar, foque nos chamados “A players”, isto é, aqueles que te ajudarão a atingir os melhores resultados e a alavancar a empresa.

As pessoas escolhidas devem ser inteligentes e multidisciplinares, mostrando que dão conta de executar qualquer tarefa, analisar os números e até mesmo negociar. Isso porque, no início de qualquer empresa, os colaboradores vão precisar fazer um pouco de tudo.

E, principalmente, você precisar contar com profissionais que consigam trabalhar com você não só pelo dinheiro, mas também pelo propósito — isso é o principal. Cada um precisa estar comprado quanto ao problema que sua empresa vai resolver, querendo entregar sempre o melhor.

2. Teste seu produto antes de escalar

A essência de qualquer startup é a cultura da agilidade. Para garantir o sucesso de um produto, a primeira tarefa em que o empreendedor deve focar é a busca pelo “product market fit”, ou seja, a garantia de que o produto realmente atende uma necessidade de mercado.

Portanto, é preciso fazer um lançamento menor do produto antes de escalar o negócio. Se você deseja abrir uma lanchonete, por exemplo, convide um grupo de poucas pessoas para provar os sanduíches, testar sabores, avaliar o ambiente e entender se elas pagariam — e quanto — pela experiência. Esse procedimento é essencial para descobrir se o produto ou serviço que você vai oferecer tem apelo frente ao seu público, desde as características físicas ao preço.

3. Fique sempre de olho nas finanças

Todo negócio, no início, precisa de uma injeção de capital: lembre-se de que ele não vai render dinheiro já nos primeiros meses. Esse começo exigirá que o empreendedor invista na compra de materiais e produtos, contratação de colaboradores, pagamento de aluguel, etc. — ou seja, é preciso primeiro desembolsar para, futuramente, lucrar.

Também é essencial manter um controle financeiro, mesmo que de maneira simples. Essa ferramenta, que pode ser uma planilha, precisa conter as despesas e receita do seu negócio, te ajudando a entender como o seu caixa está se comportando, se tudo está seguindo de acordo com o planejado e se há lucro no final do mês.

Outro ponto muito importante é a precificação do seu produto ou serviço. Entenda qual a sua margem de lucro e como ela se dará. Seus ganhos virão de cada venda ou você apostará no modelo de assinaturas, por exemplo? De todo modo, o empreendedor precisa saber o quanto cobrar do cliente para manter o negócio saudável e garantir sua lucratividade.

4. Priorize a experiência do seu cliente

Para começar, é preciso lembrar que o ato de adquirir um cliente é um procedimento muito caro. Perder esse cliente, portanto, é a pior coisa que poderia acontecer a um negócio. Deixá-lo feliz, oferecendo um atendimento de excelência, garante uma estratégia de negócio saudável, pois ele vai ficar para sempre com você.

Além disso, quanto mais clientes satisfeitos com seu produto e atendimento existirem, mais pessoas estarão advogando pela sua marca. Ao passo que isso cresce, você ganha ajuda na tarefa de espalhar seu nome e atrair mais consumidores interessados — isso a um custo de aquisição muito baixo, uma vez que os novos clientes virão por meio do boca a boca.

5. Seja cuidadoso ao definir seu (s) sócio (s)

Conheça muito bem quem você está trazendo para o “seu barco”: como ele ou ela pensa e enxerga o mundo? Você realmente se vê numa relação duradoura com essa pessoa? Uma sociedade deve ser encarada como um casamento, ou seja, é preciso ter conhecimento profundo do sócio antes de dar esse passo tão importante.

Além disso, também é essencial saber como você e seu sócio vão se complementar, uma vez que ele pode ter diferentes papéis conforme a necessidade de um negócio. Você está trazendo um sócio para sua empresa porque você ele possui uma habilidade complementar a sua? Ou trata-se de um aporte financeiro? Seja qual for a razão, deixe as regras muito claras para ambos os lados, assim vocês evitam qualquer frustração ou desavença.