Pesquisadores encontram o vinho mais antigo da Itália

  • Foram encontrados resíduos de um vinho de 4 a.C. (Foto: Divulgação)

  • Não se sabe se é vinho branco ou tinto (Foto: Divulgação)

  • O vinho foi encontrado na região de Agrigento, na Sicília (Foto: Divulgação)

Foram encontrados resíduos de um vinho de 4 a.C. (Foto: Divulgação)

Um dos grupos de pesquisa coordenados pelo arqueólogo italiano Davide Tanasi, da Universidade do Sul da Flórida, EUA, fez uma descoberta bastante inusitada em uma gruta próxima de Agrigento, na Sícilia, Itália: o vinho mais antigo do país.

A descoberta foi feita após encontrarem uma jarra no monte Kronio, e resíduos de uma bebida datada de 4 a.C. ter sido detectada. A bebida tinha resíduos de ácido tartárico e cloreto de sódio, ambos comuns no processo de vinificação.

++ Com investimentos de R$ 70 milhões, Campinas recebe primeiro hotel Radisson Red da América Latina

“Pesquisas anteriores encontraram sementes de malvasia (um tipo de uva) datadas de 1.300 e 1.100 a.C., mas esses achados comprovam apenas a prática da viticultura. Nosso estudo, por sua vez, identificou resíduos da fermentação, que implicam não apenas a viticultura, mas a própria produção do vinho”, contou Tanasi ao “Ansa”. Essa descoberta prova que o vinho foi criado 2 mil anos antes do que se achava anteriormente.

A jarra foi encontrada em 2010 e, só agora, detectaram as substâncias que provam que era vinho. O próximo passo será descobrir se era tinto ou branco.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS


Tags assigned to this article:
Viagem





Últimas notícias